Nihara

CAPITULO I - Prelúdio

      "No princípio a Terra era apenas o vazio..."

      "...Muzris pairou sobre nossos oceanos que eram profundos e abaixo de nossos céus que eram somente trevas..."

      "...Então disse: Que se faça a luz!..."

      "...Um grande clarão brilhou no horizonte, abrindo o oceano e evaporando as aguas..."

      "...Separando os mares com a terra, limpando o ar e clareando os céus..."

      "...Os ventos da explosão espalharam a vida, criando assim as plantas, florestas e os monstros..."

      "...Por um tempo, houve paz."

Tabula d'O Oràculo de Amon

 

Nihara possui 13 regiões principais e divide vizinhança com o continente Ardor que possui +3 regiões. Das 13 regiões estão dispostas em 4 grandes impérios, que classificam a fonte de poder principal do cenário. Cada região também divide uma temática e níveis tenológicos e místicos, além de possuir sistemas de governos, econômicos e sociais bem distintos, o tamanho do cenário e as relações politicas e geográficas de desafios trazem coerência pra a coexistência dos demais fenômenos do cenário.

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

Zeféria

Império da Fé
 

---------------------------------------------------------------------¤------------------------------------------------------------------
 

Dan'glindarf

Reinos/Locais: Dolfin, Forgot's Zim, Kanoda, BlingDarf.
 
Uma região de fantasia mística e contos infantis que são bem reais.
 
Dolfin, as pradarias Halflins: um conjunto de condados, bosques ao pé das montanhas geladas, local pacifico e quase inospito protegido ao norte pelas montanhas, ao oeste pelos desertos após os bosques de pinheiros e ao leste por Baldenopla, Dolfin mantei aliança com a região de Zeferia por livre passagens por suas terras, dadas como misticas e cheias de mistérios, onde sua economia é de coexistencial de cultivo independente, caça e pesca. Possui as quatro estações bem acentuadas.
Simbolo/Estandarte: A roda de uma carroça.
 
Forgot's Zim, o pico gelível: um local isolado descoberto por um pequeno Halfling curioso e que por sorte conseguiu sair vivo e sem ser visto, o local é uma verdadeira enxame de besouros gigantes e ancestrais que abitam as montanhas, liderados por um piramidal monumento onde humanoides Xill's os habitam em devoção a um Kingous, um verdadeiro faraó homem escaravelho. Não sabe-se ao certo a quanto tempo eles existem nesse local e nem seus poderes, mas a ida aquele local não só é proibida como perigosa de mais, pois nada além da morte gelada se encontra aquele local, mas dizem que aquela pode ser a única entrada para além do deserto de Zim.
Simbolo/Estandarte: Zigurate azul.
 
Kanoda, o oriente Norte: um vestigio dos antigos Hafllings nômades que durante a guerra permaneceram naquele local em vez de descerem para o zul. Kanoda começou como uma vila de clã oculta, onde as artes marciais e ninjas foram mantidas, ao ponto de se tornarem uma vila de proporções grandes de mais para permanecerem ocultas. Kanoda protege o que restou de um antigo bosque chamado de Mononoto, que faz feição ao deus da Natureza. Rumores de que em alguns momentos, nas partes mais profundas do bosque, pode-se ver o grande Ente a caminhar entre as arvores que envergam para ele passar. Vivendo em um sistema politico que varia de matriarcal e patriarcal vivem da coexistencial e de um sistema de contratos de seus serviços como espiões e agentes para os demais reinos. 
Simbolo/Estandarte: Shuriken de madeira.
 
BlingDarf, a taverna viva: uma vila em meio a entrada norte da Grande Floresta de Asclan, onde suas casas são feitas abaixo das raízes e nos troncos das grandes arvores, tendo como núcleo a taverna GlingDarf, que dá nome ao complexo. Na taverna não só são decididos assuntos de poemas como políticos, econômicos e militares, de maneira pura e bem democrática. Sendo um 'sub-reino' liderado especificamente por ações de bardos e trovadores e defendido pela aliança entre os reinos Halflings do norte. Local da primeira bebida feita a base de casca de carvalho.
Simbolo/Estandarte: Caneca de Bebida.
 
-------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------
 
Zuart
Reinos/Locais: Skull'mont, Tellis, Rosmoc, Cunbar, Balderin. 
 
Reigião tomada por savanas, tribos, bandidos e comércio. Com uma temática indo-arábica.
 
Skull'mont, a montanha da caveira: uma região isolada ao extremo leste da região, onde um antigo vulcão desmoronou tomando formato de uma cranio, o que atraiu os mais misteriosos e sinistros necromantes tribais e um deles é o Grã-mago Tulk'Tor, um famigerador zumbimaturgo e que domina as principais tribos canibais da região leste, causando terror e medo aos que entram em seu caminho pela busca de poder.
Simbolo/Estandarte: O Cranio na Montanha.
 
Tellis, o reino dos Xavantes: um reuno tribal governado pelo lider dos Xavantes, uma antiga tribo que ergueu-se em meio aos demais reinos pelo seu livre comercio e poucas leis, centro de contrabandos. Tellis fica a poucos dias do território do mago Tulk'Tor o que leva a suspeitas de que uma posição de poder local tem influencia direta do necromante, além de está localizada no braço do Rio Esfir chamado de Flamargo, Tellis possui um canal artificial que parte o Rio Flamargo de volta para o Rio Esfir, formando uma estrada fluvial de subida e descida dos rios, tornando um local perfeito para as mercadores para não passarem pelo reino mercantilista de Rosmoc.
Simbolo/Estandarte: Ponta de Lança no Cranio.
 
Cunbar, a ilha pirata: o reino dos piratas, torna-se uma terra sem leis e de temor por todos os sete mares, sendo um dos principais locais comerciais entre os mares Orientais, de Nihara a Ardor, e via de entrada pelo reino de Tellis para dentro de Nihara pelo Rio Esfir. O reino de Cunbar torna-se um verdadeiro covil de bandidos, governado por uma associação de piratas liderados pelo que eles chamam de o velho código e o rei dos piratas. Atualmente o nome do falecido Barba Azul ainda ecoa pelas ruelas de Cunbar enquanto o nome Barba Negra ainda é bem real.
Simbolo/Estandarte: Cranio e dois ossos.
 
Rosmoc, o reino das religiões: Um reino de um príncipe jovem, que por esse motivo é governado por seu tio, Senhor Ballrazar Galatrudell a mãos de ferro. um reino onde há voz e lugar para todos os deuses, templos ocultos do deus mais fiel e bondoso aos deuses mais caóticos e malignos que já pulsearam suas pragas sobre a superfície do mundo. Sua politica é de um comunismo ditatorial, onde estrangeiros pagam para entrar e pagam para sair. Entretanto, Rosmoc reúne a gama de objetos raros que peregrinos depositam em seus templos que por sua vez os comercializam para propagar os ensinamentos e objetivos de seus deuses, tornando assim o reino inteiro um palco de comercio. Rosmoc é o único reino seguro do Império da Fé onde acontece o livre comércio de escravos. Não faz muito tempo, mas a cada geração, boatos aumentam sobre uma descoberta em algum lugar ao noroeste de seu território sobre uma piramide de Jade resguardada por gigantescos Elefantes humanoides. Mas não só dessa lenda é feita Rosmoc, ao caminho do reino de Balderin, mais ao sul de sua rota, viajantes falam de uma grande pedra de gelo, que sobrevive sem derreter nas areias das dunas do deserto. Realmente Rosmoc é um local misterioso, que reúne suas devoções aos deuses e seus perigos naturais e selvagens. 
Simbolo/Estandarte: Duas adagas curvas.
 
Balderin, o reino irmão: Balderin um dos reinos fronteiras, fundado pela irmã do rei de Baldenopla, Dallila Galiel IV, localizado após a grande savana, já na região das florestas verdes ao leste na Floresta de Asclan. Balderin é um reino forte com soldados de armaduras polidas e cavalarias treinadas para as florestas. Balderin mantei relações com Talandar, reino além das fronteiras para deter os perigos que a grande floresta trás para as localidades. Sua economia baseada na extração de madeira, pecuária e principalmente de suas Ordens de cavaleiros.
Simbolo/Estandarte: Cabeça de um Cavalo branco.
 
-------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------
 
Amirot
Reinos/Locais: Nargo, Nyasha, Ciandala, Syris.
 
A Região do grande deserto das areias. Lar dos vormes, das tempestades, das chuvas ácidas, lugar dos antigos rituais e local de ruínas das antigas guerras.
 
Nargo, mil e uma noite: Reino das mais estranhas e fantásticas histórias, Nargo é governada por três Marajás, que reúnem grandes fortunas, poder e objetos místicos. Nargo não só é o primeiro reino mais próximo as fronteiras como também é um dos dois únicos a está as margens do Rio Set, as águas da serpente. Sua economia é baseada na venda dos peregrinos que passam por ela, inicialmente Nargo era apenas um acampamento feito para descanso seguro até o reino de Syris, conforme os peregrinos e devotos do deus Sol, Rá, vinham por ela, seu acampamento começou a crescer e se tornar vila, então cidade, depois reino. Em pouco mais de 20 anos, Nargo virou potencia de um reino livre de nação, porem temerosos a sua divindade.
Simbolo/Estandarte: A moeda de Ouro.
 
Nyasha, o reino das areias: Um dos locais onde se encontram os grandes túmulos dos antigos faraós e tomada por templos dos deuses encarnados cada um ao animal de poder. Os mistérios que rondam o reino de Nyasha parecem tão reis quanto o que dizem sobre esse lugar, onde seu reino é dirigido por governadores e um Faraó, onde o Faraó é a encarnação de um dos deuses do panteão no mundo mortal, um verdadeiro avatar. Onde esse por sua vez é seguido por uma gama de sacerdotes, cada um usando um elmo com o formato da cabeça de um animal que representa cada um dos deuses. Sua economia é com base na agricultura tendo como principal fonte, as nascentes divinas por suas piramides e obeliscos, que funcionam como pilares para cada divindade. Nyasha possui dos mais distintos e poderosos sacerdotes além dos mais misteriosos e sinistros ocultistas.
Simbolo/Estandarte: O olho de Cronus.
 
Ciandala, o reino das Leis: De todos os locais distintos, todos se espelharam nas leis dos mais antigo dos reinos. Ciandala foi fundada já como reino para abrigar os antigos senhores de guerra para defender os colonos não só dos nativos Orc's como também dos soldados de Drauron. 
 

 

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

CAPITULO II - Omega

"No Principio era o homem e por um tempo, houve paz..." 

"...Mas logo o homem sucumbiu a vaidade e a corrupção, construíram a primeira cidade a sua própria vontade. Desse modo o homem se tornou o arquiteto de sua própria extinção..."

"...As cidades serviam as suas funções, assim como o homem havia planejado. Não demorou muito para que isso começasse a mudar..."

"...Devido a ganância dos homens eles atrairam um nome, inesquecível pelo tempo, Dragão..." 

"...Cidade após cidade caiu, com fogo, fumaça e arrastadas para as profundezas dos mares..."

"...Os líderes dos homens rapidamente ordenaram as destruições de todas as cidades em todos os cantos do mundo..."

"...Devido ao convívio do homem, as tribos buscaram refúgios de sua própria terra prometida, elas se estabeleceram no lugar de origem do homem, na região de Zim e desse lugar nasceu uma nova civilização, um lugar onde os homens poderiam criar seus descendentes e batizaram essa nação de Kemet..."

"...Kemet prosperava e por um tempo, houve paz."

Tabula d'O Oráculo de Amon

 

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

Império da Polvora
 

-------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------
Hatsuni
Reinos/Locais: Wu-shu, Tswshin, Yoko-Jima, Lar das Almas, Yoshima, Picos Linch-Fuhr, Montanha Ígnea.
 
A Região Oriental, dos nobres Samurais, misteriosos Ninjas, dos Demônios Yokais e espíritos da morte, os Shinigamis.
 
Wu-Shu, a terra do Shogunato: Um dos mais poderosos reinos-cidades situado em um dos braços do rio Flamargo, o Rio Serpente, cercado por cidades estados ao longo de suas fronteiras, resguardadas por barões samurais e senhores feudais. Wu-Shu foi construida ao redor de uma jovem fortaleza que ao passar dos anos se tornou um grande palácio-templo em devoção ao deus da guerra e ao deus dos dragões, onde lá receberam o nome de Shogun e Wu-shu. O reino é governado por dois irmãos do clã Yodohama, Katsu e Matsuki. Contam as lendas, que no inicio do império Yotsumitsu clãs de samurais protegiam o reino, tais clãs eram descendentes dos Yodohamas, entretanto após o sacrifício dos Os Quatro Espadas, lideres dos mais importantes clã's de samurais, para banir a ameça Yokai. Depois do grande Banimento os samurais perderam utilidade foi então que um Gou’nuns, chamado Oikake Hohou, mestre dos príncipes regentes de Wu-shu, traiu o estilo samurai fundando o que viriam a se chamar Shinobis, armas de espionagem e assassinatos em serviço ao imperador, entretanto Hohou sucumbiu a ganancia e ao poder sua filosofia e crença perdeu-se fé sobre a humanidade, assim forjando uma arma capaz de selar qualquer coisa dentro de seu ínfimo, a essa arma foi dada o nome de Lamina da Lua. Até então dizem que os dois príncipes regentes, irmãos porem de filosofias opostas, buscam por tal artefato. Wu-shu é um reino autossustentável, com frotas navais, aéreas e terrestres, uma fronteira que nenhum outro reino ousa enfrentar.
Simbolo/Estandarte: O Dragão de Jade.
 
Tswshin, o arquipélago Dragão: Um jovem reino fundado e ornamentado em suas ilhas, formando um estreito e perigoso arquipélago nas águas do extremo Sul. O reino começa na fós do filho do rio Flamargo, irmão do rio Serpente, o rio Tigre Negro, fazendo com que encomendas venham do sul. Tswishin comanda e governa o mar do oeste, tendo grande dificuldades em controlar a pirataria e o contrabando de armas. Sendo o principal exportador de peixes, o reino está crescendo e tentando manter seus domínios. Um governo parlamentar de duques e senhores onde tendo como líder o Duque Susumo Tsumoto, um ex-general que teve partes de seu corpo descepado em batalha e que utiliza próteses alquímicas, aumentando não só o medo de seus inimigos como também os de seus aliados que especulam que parte da personalidade de Tsumoto foi substituída por uma mente automata.
Simbolo/Estandarte: O Tigre Negro.
 
Yoko-Jima, o lar do Imperador: O rio Serpente teve três filhos o mais importante, Shodai. A lenda fala que o deus dragão pairava sobre as terras quando a grande colonia liderada por Lee Fuhr chegaram, o Grande dragão tomou a forma de um sábio, Lee Fuhr se ajoelhou em reverencia ao grande ser e com ele todo o seu povo, o grande dragão então falou "QUANDO A SERPENTE SE DIVIDIR, TRÊS SENHORES NASCERÃO E APENAS UM DELES GOVERNARÁ COM SABEDORIA" Lee Fuhr a principio não entendeu, foi ai que a grande serpente subiu aos céus marcando as nuvens e d'aqueles dias sempre choveu. Com a chuva trouxe a lavoura de arroz, faziam as rodas d'agua moerem os grãos, a umidade fermentava mais rápido suas bebidas, as madeiras das suas casas ficavam mais resistentes, mas as armas de seus exércitos enferrujavam foi ai que uma horda de Trolls das montanhas, liderada pelo Gorkull, cranio vermelho, um Troll de orelhas avantajadas e agudas, de presas como de um javali, cabelos de crista vermelha como um pássaro e que carregava a sua face as pinturas de um demônio em forma de cranio. Matando Lee Fuhr e sucumbindo seu povo a escravidão, mas uma parcela conseguiu fugir liderados pela então jovem irmã de Lee, Linch Fuhr. Isso só incitou a fúria do grande troll obrigando aos que ficaram, erguerem grandes muralhas, palacetes e vastas plantações. Foi então que dos céus o rio Serpente se partiu em três. Shodai nascerá em meio aos escravos, assolado pelos chicotes trolls e ordenados, mas foi com essas criaturas que Shodai pode testemunhar seu dom, de seus olhos emitiram um fascino que levou o demônio e uma ilusão a mente de que não só os admiravam mais quem presenciava a sena. Os trolls foram mortos e Grokull foi banido para o Nordeste, o povo idolatrando seu jovem herói o levou ao ponto máximo de encarnação do deus Dragão, cuja seus olhos do poder conseguiram domar a fera e bani-la para além terra. Mas nem tudo foi alegrias, surgindo um homem, com o poder de seus olhos de controlar as Luas dizendo que ele seria o verdadeiro Shodai o primeiro a surgir, foi então que uma parcela de seu povo o ajudou a tomar o poder, mas esse caiu perante aos olhos do poder das ilusões de Shodai. Todos temiam pela chegada de um terceiro, o povo se uniu e o imperador pediu a cabeça de todos os que nasceram aquela época, muitos foram mortos, mas o primeiro estava distancias dali, em uma cidade fundada por Linch Fhur, irmã de Lee. Com o tempo Matsumo uma mulher com o poder dos olhos de sangue, podia controlar o fluido da vida, surgindo no reino, derrotando o ditador e banindo-o para sempre, onde o poder de Matsumo reduziu e diminuiu o poder dos olhos da ilusão. Foi então que por mais de 500 anos os descendentes de Matsumo governam com ordem e prosperidade. Yoko-Jima recebera esse nome em homenagem aos últimos descendentes do grande Imperador, os filhos gêmeos, hoje a jovem Jima e o jovem Yoko.
Simbolo/Estandarte: A face do dragão Escarlate.
 
Lar das Almas, o grande cemitério: Em uma terra devastada por uma guerra aonde o ‘quando’ de seu incio foi esquecido, mas os seus últimos 10 anos serão sempre lembrados, pois é onde estão enterrados todos os corpos daqueles que lutaram por liberdade contra a tirania do Corruptor. São extensões de terras até onde a vista alcançam, de catacumbas, crucifixos de pedras ou madeiras, lápides e pequenas igrejas, um lugar que durante o dia revela-se um  deserto e âmbito de paz, saudade e silenciosa honraria aos que ali jazem; a noite evoca o sinistro ao temor dos vivos para com os mortos dando, assim, o nome a esta vasta região de: Lar das Almas. Para qualquer um, a região é de apenas um deserto silencioso resguardado pela chuva equatorial e pelos seus ventos que carregam as cinzas e areias formadas pelos restos das tumbas e crucifixos que se desfazem com o tempo, mas recentemente a região foi abalada por uma enorme fenda que enraizou-se sob ela deixando verdadeiros abismos, dando às terras mais ao sudoeste e agora inexploradas o titulo de “Poço das Almas”.
Simbolo/Estandarte: As ruínas de um portal de pedra.
 
Yoshima, a cidade sobre a montanha: Uma cidade onde seu rei é seu povo, construída as sombras da montanha de Linch-Fhur, abriga os antigos descendentes do antigo império, uma cidade de povos livres que tem como motivação a luta por sua liberdade. Yoshima possui o básico de um governo democrático, resguardada por senhores samurais. Yoshima é conhecido por seus milagres, onde vários já ocorreram, desde anciões viverem por 200 anos, alejados voltarem a andar e  

 

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

CAPITULO III - Alpha

 

"Para falar do surgimento do nosso mundo, primeiro precisaremos entender o fim de outro..."

"...Houve uma explosão de luz, calor, magnetismo, gravidade e todas as energias do universo. Dando forma a uma estrela..."

"...Conhecendo-se apenas dois grandes mundos..."

"...Árdor, o mundo dos descendentes Dragões que buscavam alimentar com energia o poder de seus cristais..."

"...Enokian, o harmonioso mundo dos imortais..."

"...Por um tempo, houve paz..."

  "...Mas a paz acabou quando a busca desenfreada dos filhos de Árdor começou..."

"...Após represarem os rios, transformarem suas florestas em carvão, extrarirem o sangue negro das entranhas da terra e fazerem as montanhas chorar fogo. A energia estava acabando..."

"...Chegando a guerra e foi na Guerra que escravizaram e torturaram seus semelhantes para retira dos corpos de prisioneiros mais energia para seus cristais..." 

"...Despertando a fúria dos Antigos"

Tabula d'O Oráculo Serpente

 

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

Império da Magia
 

-------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------
Súria
Reinos/Locais: Wu-shu, Tswshin, Yoko-Jima, Lar das Almas, Yoshima, Picos Linch-Fuhr, Montanha Ígnea.
 
A Região Oriental, dos nobres Samurais, misteriosos Ninjas, dos Demônios Yokais e espíritos da morte, os Shinigamis.

 

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

CAPITULO IV - Muzris

 

"Por muito tempo, houve paz..."

"...Mas essa paz, não era plena. Os filhos da Luz não podiam mais nascer e a imortalidade foi tomada pela Escuridão..."

"...Foi então que no clarão de sua estrela patrona, Muzris deu aos Imortais a revelação de um terceiro firmamento..."

"...Construíram uma Nave que tinha o poder de dar a vida e terra formar o novo mundo, o batizaram de Muzris e o enviaram para o novo firmamento..."

"...A formação do novo mundo, surgiu de maneira florestal e o chamaram de Eden..."

"...Semearam uma nova Raça com os prodígios de Muzris e essa raça germinou..."

"...Os Homens, como foram batizados por Muzris, aprenderam a nomear, semear, plantar, colher e regrar..."

"...Os Homens devotaram-se a seu criador e chamaram aos que os resguardavam de Anjos..."

"...Mas algo aconteceu entre os Anjos e eles não partiram mais..."

"...Por um tempo, houve paz"

Tabula d'O Oráculo de Set

 

 

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

CAPITULO V - Revelação

 

"Muzris vigiava sobre os céus e por um tempo, houve paz..."

"...Mas o som de trombetas explodiram por todo o Orbe, dois mundos se destroçavam no firmamento..."

"...Árdor se partia em pedaços e caia enquanto Enokian Padecia em poeira no vazio..."

"...Anjos e Demonus se digladiavam na alta atmosfera, enquanto chovia fogo e imortais mortos..."

"...O Mundo se revelava palco da cruzada derradeira de dois outros mundos..."

"...Para finalmente dar espaço para o nosso mundo Surgir"

Tabula d'O Oráculo de Kain

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

CAPITULO VI - A Besta

APOCALIPSE, ano de 11.000

 

"Amanhecer. O Sol está radiante e vermelho, fomos tão tolos em não acreditar no que estavam em nossa frente. Um ser desconhecido por nós, veio drenando a força de nosso sol, talvez o antigo deus a quem os maias cultuavam. Mas agora é tarde, pois a nossa querida estrela da manhã está entrando em colapso. Nossa tecnologia se adaptou conforme os anos, e se tornou analógica novamente, mas se esse fosse nosso maior temor, eu nunca estaria riscado isso nas paredes do Titã. Precisamos de ajuda, pois o fim do mundo está para começar..."

 

APOCALIPSE, Passado Distante

 

"...Em menos de um ano, tentamos reverter a situação e já planejávamos uma viagem para fora de nosso mundo, mas foi repentinamente que todo o nosso mundo foi invadido. Tudo está tão claro agora, o nosso grande Sol, agora então vermelho, assiste de palco nosso medo e desespero. Gravo nesta pedra a segunda carta do meu relato e devo dizer que fomos ingênuos em pensar que os deuses nos abandonaram, eles estavam lá, em cima de nós vendo tudo e todos, esperando por esse dia, mas como a profecias diziam, eles iriam perder. Vimos pelos céus o fogo cair, de todos os lados, meteoros bombardearam todo o planeta, esses meteoros eram anjos e demônios caindo ainda lutando, pelos deuses antigos e pelos novos, rezamos pois o fim do mundo chegou..."

 

APOCALIPSE, Guerra Titánica

 

"Temos que fugir do nosso mundo a vida acabou e não é mais prospera, nos estamos desesperados, abalados e sem esperança, procurando uma saída para sobreviver, todas as tentativas de fugas estão falhando miseravelmente, recorremos até a antiga magia, em uma atitude desesperadora usaremos o Titã Colombo para fugir para outro mundo. A tentativa será um fracasso se tentarmos, pois vemos de uma a uma, povos das nações tentando escapar do planeta, estamos perdidos, mas a menos que em vez de tentarmos como todos fizeram, usaremos uma rota alternativa..."

 

APOCALIPSE, Êxodo.

 

"...Temos dificuldade, inclusive os destruidores de mundo estão a nos perseguir, precisamos detê-los, usaremos as torres da Colombo para isso, por sorte o Titã Colombo é forte para detê-los o suficiente para escaparmos. Até agora estamos em paz tudo esta tranquilo e silencioso por enquanto, acabamos de atravessar as fronteiras do nosso mundo, as únicas luzes que nós vemos é as emitida por Colombo, duas de suas torres estão destruídas..."

 

APOCALIPSE, Chegada.

 

"...Finalmente chegamos em outro mundo, ele é verde e seu sol brilha como a luz do paraíso, o problema é que estamos caindo, não sabemos se Colombo suportará a queda, todas nossas opções se foram, conseguimos defender o máximo que podíamos, inclusive abatemos muitos deles, por sorte poucos ainda nos seguem, mas muitos de nos morremos, agora só basta esperar que não morramos na queda, pois nem rezar podemos, pois não há mais deuses para escutar nossas orações."

 

Tabulas d'O Titã

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------

CAPITULO VII - Renascer

 

"Então o dia é eterno e todos os males ficarão para trás na terra sem horizonte e por um tempo, houve paz..."

"...Governada pelos Pequenos e resguardada pelos Anões, a terra da estrela interna foi compartilhada..."

"...Mas o rastro da corrupção dos homens foi farejado e o Fim do Mundo chegou ao paraíso..."

"...Shambala foi selada e esse antigo mundo deixado para trás com seus males..."

"...O Guardião Anão, em sacrifício de sua adoração, colapsou a estrela interna transformando o paraíso em um verdadeiro Tormento..."

"...O mundo rompeu com a cicatriz tornando-se um véu que dividia o lar dos mortais e o lugar o dos imortais..."

"...O velho mundo foi abandonado e remodelado por seus prisioneiros em seis Planos de profundidade: Subterrâneo, Limbo, Submundo, Abismo, Inferno e Tormento..."

"...Pequeninos, Anões e Homens, renasciam das pradarias, montanhas e lamaçais, surgindo para o novo mundo. Mas o sacrifício da estrela interna transformou os Anões em pedra pela luz da estrela externa..."

"...O Mundo respirava em meio ao terreno verde de céu azul, águas cristalinas e praias brancas, vivendo a sombra de antigas ruinas de um outro, já distante. Um mundo exótico com um Sol branco e puro, com duas Luas grandes, hora dourada, mercurizada ou prateada..."

"...Mas o mundo já tinha nome, pois seres Altivos já caminhavam por suas florestas e a sombra de um grande Broto..."

"...Aos Anões foi dado o dever de proteger as montanhas, aos Altivos elficos as florestas, aos pequeninos as planícies e aos homens, esqueceram pelo o que proteger..."

"...Pobre homens, cuja memória e vida é tão curta..."

"...E por muito tempo que se passou, mas os vestígios deixado ainda se reflete em toda cultura. Desde estatuas estranhas e ruínas do antigo mundo, até civilizações brotadas das criaturas, Atroces, Orcs e outros seres..."

"...Mesmo com trevas, corrupção e morte, esse mundo tem sua beleza e mais uma vez por um tempo, houve paz..."

"...Ao mundo dos imortais era chamado de Majorus Aldebharan e ao dos mortais de Kaira"

 

 Tabulas d'O Titã

---------------------------------------------------------------------¤--------------------------------------------------------------------